Biografia de Cesaltina Ramos

Na altura, vários estabelecimentos de ensino disputavam o nome dela: o Liceu da Várzea, o Liceu Domingos Ramos, a Escola Técnica ... que se antecipou e foi mais eficiente.

“Pensamos – prossegue a diretora – que homenagear Cesaltina Ramos é, simbolicamente, homenagear toda a classe docente pelo esforço simultaneamente gigantesco e anónimo para a valorização do homem cabo-verdiano”.

A presença dela cativava as pessoas.  Simples e afável no trato com grandes e pequenos, e se havia alguma preferência era para os mais desvalidos. Tão mansa, tão carinhosa, tão solícita, tão laboriosa,... inteligente e caridosa. Em casa, na família e no local de trabalho era um anjo tutelar.

Um dia, uma professora condensou a vida dela numa só palavra: "Formiguinha”. Sempre ativa, sempre a trabalhar, não conhecia o ócio.

Foi uma grande mulher, feita de pequenas coisas, de vitórias na luta sem tréguas do viver quotidiano. Não foi uma heroína de altos feitos momentâneos que a história teima em registar.

Foi, sim, uma vida heroicamente simples, que nunca aspirou ascender aos pícaros da glória deste mundo. 

E foi tal filha, tal irmã, tal mulher, tal mãe, tal colega, tal professora que a morte impiedosa a levou do nosso convívio no dia 4 de janeiro de 1992. 

O seu nome ficará ligado a esta Escola como um pleito de gratidão, como uma saudosa memória e como um símbolo da nossa classe e, de um modo particular, da mulher cabo-verdiana.

 

Cesaltina Beatriz Sousa Orrico Ramos nasceu a 30 de abril de 1951, na freguesia de S. Lourenço dos Órgãos, concelho de Santa Cruz, filha de António Fernandes Orrico e de Hermínia Sousa Miranda Orrico, era casada e mãe de cinco filhos.

Concluiu o 7º ano no Liceu Adriano Moreira (hoje Liceu Domingos Ramos) onde se destacou como aluna exemplar – aplicada, laboriosa, obediente, disciplinada e amiga dos colegas e dos professores.

Em 1975, começou a sua atividade docente como professora da Escola Preparatória da Praia.

Em 1979 ingressou na Escola de Formação de Professores do Ensino Secundário. Foi um dos alunos pioneiros daquela instituição escolar, criada naquele ano. Fez o bacharelato na área de Matemática com distinção. Na sua monografia de fim de curso, sob o tema: “A Educação em Cabo Verde”, escreveu esta eloquente dedicatória: “Dedico este trabalho a todos os educadores em Cabo Verde, para que ganhem cada vez mais consciência, gosto e amor pela actividade docente”.

Tais palavras brotaram com naturalidade de uma alma que encarnava o tipo de professor profundamente comprometido com a atividade docente.

Por ocasião do ato inaugural desta Escola, a diretora, no seu discurso, descreveu-a nestas sublimes palavras:” Simplicidade, humildade, simpatia e dedicação ao trabalho, eis os traços mais marcantes da vida de Cesaltina Ramos, os quais fizeram dela uma pessoa acarinhada e estimada pelos colegas professores, pelos alunos e por todos quantos com ela tiveram a oportunidade de conviver.

As qualidades docentes e humanas faziam dela uma educadora modelo. Daí acharmos – continua a diretora – ser justa e oportuna a homenagem de atribuir o nome dela à nossa Escola”.